Coréia - RETRÔ88

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Coréia

Selos Postais Mundo



Coréia do Sul:
Nome Oficial: Daehan Minguk  (República da Coréia)
Superfície: 99.720 Km2
População: 40.578 (em 1980 fonte Nova Cultural)
População: 51.446.201 (estimativa para 2017 fonte Wikipédia)
Capital: Seul
Língua Oficial: Coreano
Governo: República presidencialista
Presidente: Moon Jae-in
Primeiro-ministro: Lee Nak-yeon
Independência di Império do Japão
Declarada: 1 de março de 1919
Governo provisório: 13 de abril de 1919
Liberação: 15 de agosto de 1945
Constituição: 17 de julho de 1948
Governo proclamado: 15 de agosto de 1948
PIB (Nominal) Total: US$ 1.449 Trilhão (Estimativa de 2014)
Per Capita: US$ 28.738 (Estimativa de 2014)
IDH (de 2017): 0,903
Moeda: Won (KRW)
Cód. Telefone: +82
Cód: Internet: .kr

Coreia do Sul, oficialmente República da Coreia (também conhecida somente como Coreia) (em coreano: 대한민국;大韓民國; transl.: Daehan Minguk), é um país da Ásia Oriental, localizado na parte sul da Península da Coreia. Sua única fronteira terrestre é com a Coreia do Norte, com a qual formou apenas um país até 1945. Faz fronteira a leste com o Mar do Japão, a sul com o Estreito da Coreia, que o separa do Japão, e a oeste com o Mar Amarelo. Seu território compreende a metade sul da península coreana, englobando cerca de três mil ilhas que a rodeiam, dentre as quais se destacam Jeju, Ulleungdo e os Rochedos de Liancourt. A capital e maior cidade do país é Seul, cuja área metropolitana é a segunda mais populosa do mundo (atrás apenas da área metropolitana de Tóquio, no Japão).

A Coreia é uma das civilizações mais antigas do mundo. Investigadores arqueológicos afirmam que a península foi ocupada desde o Paleolítico Inferior. Através do tempo, a história da Coreia tem sido turbulenta com numerosas guerras, incluindo invasões tanto chinesas quanto japonesas. Desde o estabelecimento da república moderna em 1948, a Coreia do Sul debateu-se com sequelas de conflitos bélicos, como a Guerra da Coreia (1950-1953), e décadas de governos autoritários. Apesar de ser oficialmente uma democracia de estilo ocidental desde a fundação da república, as eleições presidenciais sofreram grandes irregularidades que só terminaram em 1987, quando ocorreram as primeiras eleições diretas e o país passou a ser considerado como uma democracia multipartidária.

Sua economia tem crescido rapidamente desde a década de 1950. Hoje em dia, é a 13ª maior economia do mundo (por PIB PPA) e está classificado como um dos países mais desenvolvidos do mundo pela Nações Unidas, pelo Banco Mundial e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Também se encontra entre os países mais avançados tecnologicamente e um dos melhores em comunicações; é o terceiro país com o maior número de usuários de Internet de banda larga entre os países-membros da OCDE, sendo também um dos líderes globais na produção de aparelhos eletrônicos, como dispositivos semicondutores e telefones celulares. Também conta com uma das infraestruturas mais avançadas do mundo, e é o líder da indústria de construção naval, encabeçada por companhias proeminentes, entre elas a Hyundai Heavy Industries. (Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre)
A Guerra da Coreia, como tudo começou! (vídeo)




Coréia do Norte:
Nome Oficial: Choson Minjujuui Inmin Konghwaguk (República Popular Democrática da Coréia)
Superfície: 120.540 Km2
População: 19.630.000 (em 1980 fonte Nova Cultural)
População: 25.368.620 (Estimativa para 2016 fonte Wikipédia)
Capital: Pyongyang ou Pionguiangue
Língua Oficial: Coreano
Governo: República popular socialista (juche) unipartidária
Presidente Eterno: Kim Il-sung = (falecido)
Líder Supremo: Kim Jong-un2
Presidente da Suprema Assembleia Popular: Choe Ryong-hae
Premier: Kim Jae-ryong
Independência do Japão:
Declarada (dia V-J): 15 de agosto de 1945
Reconhecida: 9 de setembro de 1945
PIB (Nominal) Total: US$ 12,4 bilhões (Estimativa de 2011)
Per Capita: US$ 506 (Estimativa de 2011)
IDH (de 2013): 0,595
Moeda: Won norte-coreano (KPW)
Cód. Telefone: +850
Cód. Internet: .kp

Coreia do Norte, oficialmente República Popular Democrática da Coreia (hangul: 조선민주주의인민공화국; hanja: 朝鮮民主主義人民共和國; transl. Chosŏn Minjujuŭi Inmin Konghwaguk), é um país no leste da Ásia que constitui a parte norte da península coreana, com Pyongyang como capital e maior cidade do país. Ao norte e noroeste, o país é limitado pela China e pela Rússia ao longo dos rios Amnok (conhecido como o Yalu em chinês) e Tumen; é limitado ao sul pela Coreia do Sul, através da Zona Desmilitarizada Coreana (ZDC), que separa os dois países. No entanto, o Norte, como o seu homólogo do Sul, afirma ser o governo legítimo de toda a península coreana e de suas ilhas adjacentes. Tanto a Coreia do Norte quanto a Coreia do Sul se tornaram membros das Nações Unidas em 1991.

Em 1910, a Coreia foi anexada pelo Império do Japão. Em 1945, após a rendição japonesa no final da Segunda Guerra Mundial, a Coreia foi dividida em duas zonas, com o norte ocupado pela União Soviética e o sul ocupado pelos Estados Unidos. Negociações sobre a reunificação fracassaram e, em 1948, governos separados foram formados: a socialista República Popular Democrática da Coreia, no norte, e a capitalista República da Coreia, no sul. Uma invasão iniciada pelo Norte levou à Guerra da Coreia (1950-1953). O Acordo de Armistício Coreano provocou um cessar-fogo, mas nenhum tratado de paz jamais foi assinado.[9]

A Coreia do Norte oficialmente se descreve como um Estado socialista autossuficiente e formalmente realiza eleições. Vários analistas, no entanto, classificam o governo do país como uma ditadura stalinista totalitária, particularmente por conta do intenso culto de personalidade em torno de Kim Il-sung e sua família. O Partido dos Trabalhadores da Coreia (WPK), liderado por um membro da família governante, detém o poder e lidera a Frente Democrática para a Reunificação da Pátria, da qual todos os oficiais políticos são obrigados a ser membros. Juche, a ideologia de autossuficiência nacional, foi introduzida na constituição em 1972. Os meios de produção são de propriedade do Estado através de empresas estatais e fazendas coletivizadas. A maioria dos serviços, como saúde, educação, habitação e produção de alimentos, também é subsidiada ou financiada pelo Estado. O país segue a política Songun, ou "militares em primeiro lugar", com um total de 9.495.000 de pessoas entre soldados ativos, na reserva e paramilitares. Seu exército ativo, de 1,21 milhão de homens, é o quarto maior do mundo, depois da China, dos Estados Unidos e da Índia. O país também possui armas nucleares.

Várias organizações internacionais avaliam que graves violações de direitos humanos na Coreia do Norte são comuns e tão severas que não têm paralelo no mundo contemporâneo. De 1994 a 1998, a Coreia do Norte sofreu uma crise de fome que resultou na morte de milhares de pessoas (entre 240.000 e 420.000 norte-coreanos), sendo que a população continua a sofrer de desnutrição. O governo norte-coreano nega veementemente a maioria das alegações, acusando organizações internacionais de fabricar abusos de direitos humanos como parte de uma campanha difamatória com a intenção secreta de derrubar o regime, embora admitam que há questões de direitos humanos relacionadas às condições de vida que o governo está tentando corrigir. (Fonte: Wikipédia, a enciclpédia livre)
A DINASTIA NORTE - COREANA: GERACÃO E LEGADO. (Vídeo)



 
Copyright 2017. All rights reserved.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal